ūüéĶ Escolho estar cercada s√≥ de quem interessa!

Citando Lenine pra inspirar, rsrs

Quem escolhemos pra nos inspirar? Quem ou o que escolhemos ver, conhecer, ouvir, acompanhar em nosso dia a dia? Essas pessoas/coisas te motivam e impulsionam a ser melhor, ou te mostram uma ‚Äúrealidade‚ÄĚ dif√≠cil de praticar, ou que voc√™ nem sabe se gosta, se concorda‚Ķ As escolhas que fazemos s√£o nossas. Elas podem at√© estar equivocadas, ou s√≥ inapropriadas, mas seguir com elas ap√≥s esse veredicto √© mais uma vez uma decis√£o. E √© nossa. Somos auto-respons√°veis?
…
Eu não programo, não provoco. Não fico ansiosa por esse momento. Mas ele vem. Alguns dias antes do começo do novo ano, há uma consciência latente que se manifesta e determina: é necessário preparar o terreno pra um novo ciclo. E é propício interromper a velocidade de cruzeiro, desativar o piloto automático. Tomar nas mãos esse mapa das próximas rotas. E customizar-se. Tornar-se, de novo e sempre, a cara de si mesma.

Primeiro acontece, depois percebo.
E hoje, ao acordar, uma fisgadinha que eventualmente me beliscava, se mostrou preponderante. Me aproprio do meu celular e começo a encarar de frente: quem eu sigo e porque.

Um dia a gente est√° vendo alguma coisa, est√° numa vibe, tem seu desejo despertado e a√≠, p√°! ‚ÄúSeguir‚ÄĚ. A partir dali, todos os dias aquele influenciador (pessoa, empresa, ideia) povoa nossas redes sociais. E de vez em quando √© um saco. Mas tamb√©m √© ‚Äėcruzeiro’ passar a vista por ali todos os dias. Passa tamb√©m o tempo. A√≠ voc√™ se transforma. Tudo se transforma, o tempo todo. E de repente o que era desej√°vel, motivador, ideal, inalcans√°vel‚Ķ √Äs vezes vira lixo. N√£o por ser lixo. Mas por se tornar, pra mim, ou pra voc√™. N√£o nos acrescenta mais, n√£o interessa, cansa, que t√©dio! Que vazio! Mas fica ali. E a gente olha. Porque acostumou a olhar. E se compara, e fica entediado, ou frustrado. As vezes pula o stories. Mas est√° ali.

Hoje comecei minha faxina de novo ano. E foi limpando o que est√° ao meu redor e que n√£o tem mais a ver comigo. ‚ÄúGrata, um dia teve import√Ęncia. Mas, hoje, voc√™ me traz ang√ļstia, ansiedade, vazio, sensa√ß√£o de farsa. No, thanks. Prefiro o que √© a minha cara. Nem que seja a cara do que eu quero pra mim. E meu primeiro desejo √© que verdades definam meus relacionamentos. Inclusive os virtuais‚ÄĚ.

Ent√£o, fiquei com belezas, fitness, sa√ļde, viagem, moda, decora√ß√£o, humor, astral e levezas. Mas n√£o s√≥ isso. E sim, inclusive isso.

Para 2020, rela√ß√Ķes mais verdadeiras. Com os exemplos que escolho e dou, com os amigos que quero por perto e longe daqueles de que prefiro dist√Ęncia (mas n√£o quero mal), com a fam√≠lia. E com o Amor. E comigo.