Diário de viagem

4o dia

Entre armamentos e Champs Elysées, a vida segue em Paris

Escrevo sobre o quarto dia no começo do sexto dia. Isso se explica. Anteontem (4o dia) houve menos a contar e mais do que é muito íntimo: passeios pela Champs Elysées, fotos e fotos e fotos por aqueles cantos, compritchas no melhor estilo brasileitos-classe média-muitas contas pra pagar. Sim, não as esqueci. Risos. E lágrimas. Mais risos do que lágrimas. 💃

Mas vale o registro de algumas curiosidades.

Primeiro. Não tinha mencionado ainda. Há duas Paris(es) compartilhando o mesmo espaço, porém em dimensões cósmicas distintas.

Uma é a dos noticiários, dos policiais e dos manifestantes. Paris está sitiada. Centenas de policiais armados até os dentes povoam a cidade sem qualquer cerimônia.

Dezenas de estações de metrô fechadas por conta de manifestações aos sábados. Elas não estavam acontecendo no metrô, dessa vez. Mas, pelo sim pelo não, resolveram interditar. Eu entendo. E apoio. Pelas vidraças quebradas que vi das vitrines da Champs Elysées, de fato não gostaria de estar no caminho dessas pedras.

Mas as pessoas seguem a vida, de trem inclusive. Aí você acha que vai parar em Antony (uma estação). Bobinho… Interditou! Sem problema, vou até a próxima e ando um pouquinho. Inocente… Interditaram as próximas 5 estações!!! E foi desse jeito que perdemos a manhã quase toda fazendo combinações de linhas pra chegarmos mais ou menos onde queríamos.

Enquanto isso, a outra face da mesma realidade de Paris finge que nem vê. E finge bem! Eu mesma fiz comprinhas, dispus de todo glamour em poses cinematográficas com o Arco do Triunfo, em todas e placas e catinhos que pude. Mas de vez em quando os robocopes contemporâneos me puxavam à realidade.

Aparentemente ao resto do mundo não incomodava o bloqueio do acesso à parte de cima do Arco do Triunfo, já lotado de policiais armados e com dedos a postos nos gatilhos. Sabe aquelas frentes de batalha dos filmes de guerra, em que um grupo fica a dezenas de metros do outro, com cavalarias, arcos, flechas e escudos e de repente um lado grita “atacar” e os guerreiros vão com tudo uns pra cima dos outros? Pois eh! Os policiais franceses são tipo a galera que está do lado do Mel Gibson lá no Coração Valente. Pra nossa felicidade eles ganharam a partida por WO. O inimigo, naquele cenário, não compareceu. 🙏🏻.

E aí o dia seguiu. Enquanto os homens se encantavam com Ferraris, Lamborghinis e congêneres; nós meninas passeamos sem ambições pelas calçadas da Cartier, Louis Vuitton, Tiffany.. MacDonald’s, Sephora, H&M… Sim, é possível ser classe média na Champs Elysées!!! E fui! Foi bem legal. Até roupas a 15 euros eu comprei!!! Porque não, minha gente?! Com sacolas em punho em plena… Comigo!! Champs Elysées! Oui!

A noite terminou num pub massa perto do hotel, o Bar Dakis. Rock anos 80, disseram os rapazes. Música muito legal! Provaram todas as cervejas da casa. Fiquei na Marguerita e água com gás! Melhor né? Alguém tem que enxergar o chão na volta!! Rsrs.

2 comentários em “Diário de viagem

Deixe uma resposta para Érica Lima Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s